quinta-feira, 4 de março de 2010

MULHER DE ESCORPIÃO



\\ * MULHER DE ESCORPIÃO * //




Não pense que sou santa


nesta minha fala mansa


arde um querer que lateja em versos
Intensidades sem meias-verdades
em mim não há futilidades

Sou assim ...
Se amo vou além do fim do túnel
Se não gosto, ignoro...pouco me importo!
Mas se me chama, vou ao teu encontro
renego as descrenças...não te abandono!
Se desejo...eu beijo!
Se odeio...esbofeteio!

Mas se me magoa...sou pássaro que voa
que na liberdade que o assiste, não tem limite
Mas se me faz um carinho
Falando baixinho as coisas que eu preciso ouvir
Viro gata no cio, causo arrepios...arranco gemidos!

Comigo não há meio termo
percorro as extremidades sem exagero
Posso ser mar em calmaria
outras tantas vulcão em erupção
não perco o tino tão pouco a razão
Se me queres, cuide direito
pra que não conheças o meu avesso
que tantas vezes eu mesma desconheço.

Um comentário: